Project Details

Serviços de Arqueologia para UHE de Furnas

RESGATE ARQUEOLÓGICO NA UHE MARIMBONDO

Serviços de Arqueologia para UHE de Furnas

Ano de inicio: 2019

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: UHE

Localização: Guaraci, Colômbia, estado de
São Paulo e Frutal Estado: MG

A Ecossis Soluções Ambientais finalizou em março de 2020 o Programa de Resgate Arqueológico na Usina Hidrelétrica de Marimbondo, realizando trabalho de campo nos sítios arqueológicos Sant´Ana, Laranjal e Chatão, localizados nos municípios de Guaraci e Colômbia no estado de São Paulo, e Frutal no estado de Minas Gerais. O Programa ficou sob a responsabilidade da arqueóloga Carla Verônica Pequini e de Diogo Quirino da Silva, como coordenador de campo. A UHE Marimbondo foi construída entre 1971 e 1977 e pertence a Furnas Centrais Elétricas, responsável pela contratação da Ecossis.

O objetivo do desenvolvimento do Programa foi garantir a Licença de Operação (LO) do licenciamento ambiental. Vale destacar que o estudo de Arqueologia Preventiva é parte integrante dos estudos de Impacto Ambiental e deve ser submetido à aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

O programa contou com o apoio institucional do Museu Arqueológico do Carste do Alto São Francisco (MAC) e do Museu Municipal “José Raphael Toscano”, responsáveis pela guarda definitiva dos materiais em reserva técnica.

A análise de todo material curado e analisado consistiu em 2.478 artefatos de interesse e relevância arqueológica. Dentre o material 1.093 (44%) correspondem a material lítico; 1.384 (56%) a fragmentos cerâmicos; 1 (0%) a fragmento de material construtivo (tijolo).

Esta coleção foi constituída a partir de um conjunto diversificado de métodos aplicados em campo, como: a evidenciação dos artefatos, coleta de superfície, sondagens 1X1m, trincheiras, poços testes e observação de perfis. Para melhor exemplificação de cada sítio foi feita uma introdução da curadoria, seguida da metodologia de análise e, posteriormente, a análise individual dos sítios.

De acordo com a equipe técnica da Ecossis, diante da análise dos atributos cerâmicos foi possível verificar uma rede de contato e troca de tecnologias culturais entre os povos indígenas que viviam onde hoje restaram os sítios arqueológicos.

Apesar do contexto de alto impacto arqueológico em decorrência da UHE Marimbondo ao qual se encontram os sítios resgatados, no caso do sítio Chatão, algumas áreas ainda apresentam um contexto que está mais bem preservado, caracterizando-se, portanto, áreas com testemunho e possibilidades de novas pesquisas e intervenções arqueológicas futuras, pois ainda não foram esgotadas todas as possibilidades de investigação desse sítio arqueológico.

O patrimônio cultural nacional deve ser preservado. O levantamento e resgate de sítios arqueológicos em contextos regionais, representa um grande avanço para tal intuito, porém muito ainda precisa ser feito, conforme já dizia J.L MORAIS, na sua publicação Arqueologia na Região Sudeste. REVISTA USP, de São Paulo.