Saiba Mais

projetos ecossis

Equipe Ecossis realiza projeto de Resgate Arqueológico

0
A equipe Ecossis, formada por arqueológos, encontra-se no município de Guaraci-SP para a execução do Programa de Resgate Arqueológico na Faixa de Depleção da UHE Marimbondo, Processo Iphan 01450.007106/2017-55. O primeiro sítio a ser resgatado será o Santana, e já foram identificadas três estruturas cerâmicas.

Saiba o que é o Resgate ou Salvamento Arqueológico

Os vestígios deixados pela sociedade (ferramentas, utensílios domésticos, vestuários, elementos de poder, de religiosidade, edificações, entre outros), permitem que se possa compreender como se deu a expansão das comunidades humanas no tempo e no espaço e sua capacidade adaptativa aos processos ambientais.

Estes vestígios, além de objeto de estudo da arqueologia, são os testemunhos do desenvolvimento social e constituem juntamente com monumentos artísticos, e ou, arquitetônicos, como patrimônio cultural da humanidade.

O conjunto desses vestígios arqueológicos constituem um sítio arqueológico ao qual deve ser resgatado caso esteja em áreas que serão danificadas, como é o caso de alguns empreendimentos potencialmente destrutivos.

Veja abaixo imagens da atividade de campo realizada pela equipe de arqueólogos da Ecossis e imagens dos achados que foram identificados durante a Execução do Programa de Resgate Arqueológico da UHE Marimbondo.
equipe ecossis

Saiba mais sobre a Ecossis

Fundada em 2006 pelos biólogos Gustavo Leite e Juliano Moreira, a Ecossis Soluções Ambientais nasceu para atender à uma crescente demanda da sociedade por soluções ágeis e eficientes na área de meio ambiente. Este mesmos pilares norteiam a política, valores e princípios de trabalho até hoje em todos seus projetos.

Nossas soluções  buscam ser economicamente viáveis, socialmente justas e ambiental corretas, tendo como base na legislação e as peculiaridades de segmento que atuamos, para que todos nossos clientes, não somente tenham satisfação com nossos serviços, mas que seus projetos alcancem o desenvolvimento sustentável.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *