Saiba Mais

projetos ecossis

Atividades de campo LDAT Mandaguari – Sarandi

LDAT – Mandaguari – Sarandi: Divulgação dos bens culturais acautelados

Durante as atividades de campo para a realização da Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico da LDAT Mandaguari – Sarandi (autorizado pela Portaria IPHAN nº. 01508.000564/2017-51) a equipe de arqueólogos da Ecossis Soluções Ambientais visitou o a Secretaria de Educação da Prefeitura do Município de Marialva, conversando com a sra. Jaqueline Nahas e entregando folhetos ilustrativos contendo informações sobre o patrimônio cultural.
Ainda serão visitadas as Secretaria de Educação da Prefeitura do Município de Sarandi, a Secretaria de Educação da Prefeitura do Município de Mandaguari e o Museu Memorial de Marialva que na ocasião encontravam-se fechados diante do contexto (Covid-19).
Além disso puderam conversar com alguns proprietários na extensão do empreendimento.

Conversa com Jaqueline Nahas, da Secretaria Municipal de Educação de Marialva.

Conversa com o senhor Mario Jacob

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conversa com o senhor Roberto Ferreira (Torre 29).

Conversa com o senhor Adriano Mendes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O objetivo dessa divulgação é de informar a população a necessidade de serem realizados estudos arqueológicos em obras que modificam o meio ambiente e demonstrar o potencial arqueológico da região.
As ações de esclarecimento e divulgação dos bens acautelados faz parte do projeto provado pelo IPHAN, em consonância com a Instrução Normativa no 1/2015 e Portaria IPHAN no 908/2016.

Nosso Patrimônio!

Segundo a Constituição de 1988, em seu artigo 216, parágrafo 5o, os bens materiais e imateriais sob a proteção do Poder Público (obras, monumentos, documentos, locais de valor artístico e histórico e paisagens naturais), constituem “Patrimônio Cultural Brasileiro”:

Art. 216 – Constitui patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tombados individualmente ou em conjunto, portadores de referência a identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira nos quais se incluem:

(…) Parágrafo V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico,
arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, é o órgão que fiscaliza e protege os sítios arqueológicos, conforme a Lei no 3.924/61. Contudo, é nosso dever como cidadão proteger e conservar o Patrimônio Cultural Brasileiro, para toda a humanidade e para as gerações futuras, localizados dentro de seu município ou região, considerados patrimônio mundial de toda população do planeta.

Durante os estudos arqueológicos foi identificado um sítio arqueológico: Sítio Arqueológico Ribeirão Sarandi, com material lítico (ou seja, instrumentos feitos de “pedra”) e, três Ocorrências Arqueológicas Isoladas também de material lítico.

Caso você encontre material arqueológico na sua região, favor contatar a Superintendência do Iphan em Paraná (Telefone: (11) (41) 3264-7971 / e-mail: [email protected]), para que profissionais possam estuda-los adequadamente.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat