Saiba Mais

dica ambiental

Veja como cidades do mundo todo estão se tornando resilientes

0

A população urbana global tende a crescer rapidamente nas próximas décadas, o que está obrigando os prefeitos e cidadãos a olhar com mais atenção para questões como clima, espaços verdes e gestão de resíduos sólidos, tornar centros urbanos em cidades resilientes.

Pequenas ou grandes, as cidades de todo o mundo têm desafios comuns, em especial os trazidos pela rápida urbanização e pelas mudanças climáticas. As Nações Unidas estimam que 4 bilhões de pessoas —mais da metade da população global— vivem nos centros urbanos. Até 2050, mais de dois terços da população mundial viverá nas cidades, o que gerará uma demanda crescente por moradias acessíveis, sistemas de transporte bem conectados e outras infraestruturas e serviços, além de empregos. 

A boa notícia é que, com conhecimento e criatividade, os centros urbanos estão encontrando formas de enfrentar novos e antigos problemas com menos perdas e maior capacidade de recuperação, ou seja, estão se tornando resilientes.

Cidades resilientes foi o tema principal da recente conferência Catalisando Futuros Urbanos Sustentáveis, promovida pela Prefeitura de São Paulo, pelo Programa Cidades Sustentáveis e a Plataforma Global para Cidades Sustentáveis (GPSC), do Banco Mundial, com apoio do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, em inglês). 

Durante o evento as atenções se voltaram para 3 assuntos: 

1.A mudança do clima: Hoje, 90% da expansão urbana se dá nos países em desenvolvimento. Grande parte dela ocorre em áreas próximas a riscos naturais, rios e regiões litorâneas, por meio de assentamentos informais e não planejados. A falta de infraestrutura e de planejamento do uso da terra exacerba os riscos aos quais os moradores estão expostos, em especial com as mudanças do clima. Por isso, diversas cidades já estão elaborando seus planos de mitigação e adaptação. São Paulo, por exemplo, espera lançar o seu em junho de 2020.

2.Mais espaços verdes: Hoje, cerca de um milhão de espécies animais e vegetais estão em perigo de extinção, prejudicando a capacidade de a natureza armazenar carbono. Os espaços verdes não apenas ajudam as cidades a mitigar e se adaptar às mudanças climáticas, mas também servem como lugares de convivência entre pessoas e natureza, e para a conservação da biodiversidade urbana. 

3.Gerenciamento de Resíduos: Ampliação dos Pátios de compostagem, ecopontos para entrega de entulho, melhorar os sistemas de limpeza urbana, centros de reciclagem modernos. Gerenciar corretamente nossos resíduos é a melhor maneira de preservar.

 Mudar hábitos não é uma tarefa simples. Nem sempre são ideias fáceis de implementar e podem custar caro, mas o custo da inércia tende a ser bem maior, tanto para o meio ambiente quanto para a população em si. 

Fonte: brasil.elpais 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat