Saiba Mais

Você está bebendo agrotóxicos?

0

No Brasil, foi atestado que mais de 25 tipos de Agrotóxicos estão presentes na água que abastece mais de 2.300 cidades do ano de 2014 a 2017.

Para demonstrar os dados avaliados foram elaborados estudos geográficos e apresentados em mapas que apresentam além do número de agrotóxicos na água por cidade, os mapas permitem também enxergar a concentração dessas substâncias, que é medida em microgramas por litro.

mapa de agratóxicosmapa de agrotóxicos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O mapa é fruto de uma investigação em conjunto realizada pela Repórter Brasil, Public Eye e Agência Pública. Os dados utilizados são do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), do Ministério da Saúde.

Os números revelam que a contaminação da água está aumentando a passos largos e constantes. Em 2014, 75% dos testes detectaram agrotóxicos. Subiu para 84% em 2015 e foi para 88% em 2016, chegando a 92% em 2017. Nesse ritmo, em alguns anos, pode ficar difícil encontrar água sem agrotóxico nas torneiras do país.

Embora se trate de informação pública, os testes não são divulgados de forma compreensível para a população, deixando os brasileiros no escuro sobre os riscos que correm ao beber um copo d’água.

Entre os agrotóxicos encontrados em mais de 80% dos testes, há cinco classificados como “prováveis cancerígenos” pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e seis apontados pela União Europeia como causadores de disfunções endócrinas, o que gera diversos problemas à saúde, como a puberdade precoce. Do total de 27 pesticidas na água dos brasileiros, 21 estão proibidos na União Europeia devido aos riscos que oferecem à saúde e ao meio ambiente.

Por isso o mapa elaborado é tão importante, fornece as informações de forma clara e compreensível. Além disso, há uma ilustração que indica qual é a concentração máxima na água que é considerada segura no Brasil.

nível de agrotóxicos

A principal reivindicação dos grupos que fazem campanha pelo controle dos agrotóxicos é por mais restrição e até pela proibição de alguns dos pesticidas hoje aprovados no país, como a atrazina, o acefato e o paraquate, que são campeões de venda no Brasil, mas proibidos na União Europeia. A lei brasileira determina que os fornecedores de água no Brasil são responsáveis por realizar os testes a cada seis meses e apresentar os resultados ao Governo Federal.

Veja mais Noticias.

Fonte portrasdoalimento.info