Project Categories: Ecovias

Monitoramento Arqueológico da Rodovia PR407

ecossis-clientes5-via-carol-ecovias-2200-900

Ano de inicio: 2015

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Rodovia

Localização: Paranaguá  Estado: PR

Elaboração de estudos e acompanhamento arqueológico da 1ª Etapa da duplicação da rodovia PR-407, entre o km 0 e 3,8, no perímetro urbano de Paranaguá – PR.

A Ecossis Soluções Ambientais realizou o monitoramento arqueológico e Educação Patrimonial ao longo do traçado da Duplicação da Rodovia PR-407 (km 0,0 ao km 3,8), para a Concessionária Ecovias Caminho do Mar SA – ECOVIAS, detentora dos direitos de concessão e responsável pela instalação da obra.

Os estudos sobre o patrimônio arqueológico e histórico necessários ao licenciamento desta duplicação foram realizados ela Ecossis, sob a coordenação da Arqueóloga Carla Pequini, com apoio e guarda de material do Museu Paranaense.

O potencial arqueológico previsto para as áreas de influência da Duplicação da Rodovia PR-407 é muito elevado, com presença de sambaquis, sítios líticos e cerâmicos, cenário da ocupação humana desde o período pré-colonial. Somado a isso, caracteriza-se como um importante centro receptor e distribuidor de caminhos até os dias atuais.

Objetivo geral deste programa é mitigar os impactos que o patrimônio arqueológico sofrerá com a implementação do empreendimento. Por meio do estudo in loco, garantir a proteção do patrimônio histórico e arqueológico na área ocupada pelo empreendimento, em consonância com a legislação existente e com as diretrizes normativas e operacionais.

O traçado da rodovia transcorre trecho ocupados por algumas estruturas residenciais e comércio, nos primeiros 3,8 quilômetros, sendo, na sua maior parte áreas de mata secundária e Áreas de Preservação permanente – APPs preservadas.

A partir dos dados disponíveis (levantamento dos sítios arqueológicos já registrados no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos e dados secundários dos relatórios científicos), foi possível a elaboração de um mapa indicativo dos sítios arqueológicos da região em relação ao empreendimento (anexo).

Seguindo a Portaria IPHAN 230, de 2002, o Programa de Educação Patrimonial nas áreas circunvizinhas ao empreendimento deve ser executado em todas as fases do licenciamento ambiental de empreendimentos potencialmente lesivos a bens arqueológicos, constituindo parte da Arqueologia Pública, e pode ser entendido como uma forma de diálogo entre os arqueólogos e a sociedade em relação ao patrimônio arqueológico e cultural. Divulgando à comunidade os resultados obtidos nas pesquisas realizadas, atentando para o desenvolvimento da sensibilidade e valorização do patrimônio cultural local.

Nesse sentido a Educação Patrimonial abrangeu atividades com as escolas do município de Paranaguá, bem como, com os funcionários da obra durante o período de monitoramento arqueológico, gestores e comunidade.

O Monitoramento passou pelas seguintes etapas:

Percorrer todo o trecho, realizando o registro fotográfico, seguindo as coordenadas GPS e verificando se a obra estava sendo executada nos trechos não liberados (o trecho liberado compreende do km 0,0 ao 3,8);

Realizar o registro fotográfico, fichas e coordenadas da área já executada;

Realizar o registro fotográfico, fichas e coordenadas dos locais onde estão realizando a duplicação;

Entrevistas com moradores da Região;

Atividades de Educação Patrimonial;

Elaborar o Diagnóstico da atual condição, previsões de término e cronograma de obras cedido pela equipe de campo da Ecovias.

Para saber mais sobre a Ecovia, acesse www.ecovia.com.br

Saiba Mais

Levantamento de Passivos Ambientais para Ecosul

ECOSSIS-base-CASES-VERSAO-BASE-PROP-2200X900-ECOSUL

Ano de inicio: 2019

Status: ATIVO

Tipo de empreendimento: Infraestrutura e Saneamento

Localização: BR116 e BR392  Estado: RS

Ecossis está realizando o Levantamento de Passivos Ambientais em diversos trechos da BR 116 e BR 392 para Empresa Ecosul, que faz parte do Grupo Ecorodovias.

A Ecossis Soluções Ambientais, empresa especializada em consultoria ambiental, foi contratada para executar o serviço de levantamento de passivos ambientais em campo nos trechos da BR 116 do km 400 (Camaquã-RS) ao km 523+562 (Entr. BR-392, Pelotas RS); BR 116 do km 523+562 (Entr. BR-392, Pelotas-RS) ao km 659+322 (Jaguarão-RS); BR-392, segmento rodoviário do km 0+000 (cidade de Rio Grande-RS) ao km 68+254 (Entr. BR-116, Pelotas-RS), inclusive trecho duplicado e BR-116 do km 71+285 (Entr. BR-116, Pelotas-RS) ao km 200+040 (Santana da Boa Vista-RS), estes trechos estão sob concessão da Ecosul – Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A., que compreendem no total 456 km e 331 metros.

O serviço de levantamento de passivos ambientais para o sistema de gestão e supervisão ambiental dos trechos mencionados acima, sob concessão da Ecosul, serão de acordo com as orientações da Portaria ANTT n° 283, de 22 de novembro de 2017, atendendo as diretrizes constantes no “Manual para atividades ambientais rodoviárias” do DNIT (Publicação IPR-730), através de monitoramentos semestrais, iniciados em 2019.

O Passivo ambiental – está relacionado a toda pendência ambiental gerada na implantação ou operação de um empreendimento, ou seja, qualquer degradação da qualidade ambiental não recuperada ou mitigada fazendo com que, sobre aquela degradação, continue incidindo novos impactos indesejáveis com consequentes acréscimos de custos para a sua regularização.

A presença de passivos ambientais nas rodovias significa, via de regra, prejuízos diretos ou riscos ao patrimônio público, podendo afetar a segurança dos usuários e a qualidade de vida das populações lindeiras e, ainda, prejudicar sua própria manutenção e funcionamento. Assim, áreas degradadas resultantes da obra de implantação, da manutenção ou da operação da rodovia, permanecem como o compromisso de minimização dos impactos causados e seus provenientes processos naturais. 

Os serviços realizados pela Ecossis, contemplam:

  • Elaboração de Relatório de passivos ambientais;
  • Atualizações do cadastramento de passivos ambientais;
  • Cadastramento de passivos ambientais.

A equipe técnica para execução do serviço será composta por profissionais da área de Geologia, Biologia, e Engenharia Ambiental, com especialização e experiência em Passivos Ambientais.

Saiba Mais
Open chat