Project Categories: Execução de Programas Ambientais

Prefeitura de Guaíba

Assessoria Técnica Ambiental para Prefeitura de Guaíba

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0018_LOGO-19-PORTO-SANTOS-e1520947256857

Ano de inicio: 2011

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Construção Civil

Localização: Guaíba  Estado: RS

Ecossis prestou serviços de assessoria técnica ambiental a Prefeitura Municipal de Guaíba entre os anos de 2011 e 2012.

Visando complementar a equipe técnica multidisciplinar da Secretaria Municipal da Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Guaíba-RS, na área de geologia e da engenharia química, a Ecossis prestou serviços de assessoria técnica ambiental a este órgão público pelo período de um ano.

Os serviços para a PM de Guaíba compreenderam:

Emissão de pareceres e  laudos relativos às áreas de geologia e de engenharia química, com enfoque ambiental, subsidiando a tomada de decisão da equipe técnica efetiva e do(s) responsável(is) pelo licenciamento ambiental de impacto local, conforme solicitação da SMAMA.

Auxilio no atendimento à resolução CONSEMA Nº 04/2000, para obtenção do convênio com o SIGA-RS. Visando à habilitação junto a SEMA, para a realização do licenciamento ambiental das atividades consideradas de impacto local, onde o Município precisava possuir no quadro do órgão municipal do meio ambiente, ou a disposição deste órgão, profissionais legalmente habilitados para a realização do licenciamento ambiental, emitindo a devida Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Para saber mais sobre a Prefeitura de Guaíba acesse http://www.guaiba.rs.gov.br/

Saiba Mais
Eletrosul

Supervisão Ambiental de Obras da LT Palhoça – Blumenau

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0003_LOGO-4-ELETROSUL-e1520947850970-4

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Linha de Transmissão

Localização: Gaspar  Estado: SC

Ecossis realizou para a Eletrosul, a supervisão ambiental e execução de programas ambientais das obras relacionadas ao seccionamento da LT 230 kv Palhoça – Blumenau, em Santa Catarina.

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A. visando atender as condicionantes da Licença de Instalação (LI) e obtenção da Licença de Operação (LO), realizou a execução de diversos programas ambientais na obra da LT 230 kV Palhoça – Blumenau, para SE Gaspar 2, e instalação de equipamentos na SE Gaspar 2, localizada em Gaspar/SC.

A Linha tem uma tensão de 230 kV com uma extensão aproximada de 2 km.

As atividades  desenvolvidas consistiram na execução da supervisão ambiental do empreendimento, cujo objetivo foi a inspeção e o controle da implantação das medidas de mitigação contidas nos programas ambientais, além da orientação à empresa executora da obra. Aliadas à execução da supervisão ambiental, também foi promovidas as seguintes ações:

  • Acompanhamento da supressão da vegetação, com orientações visando minimizar os impactos decorrentes desta atividade;
  • Condução de palestras e reuniões, dentro do programa de educação ambiental (PEAT) para os funcionários da obra, e para a comunidade atingida (PEA);
  • Afugentamento e resgate da fauna silvestre impactada pelo empreendimento;
  • Gerenciamento da destinação final de resíduos sólidos e líquidos;
  • Suporte para o programa de Comunicação Social.

O Programa de Supervisão ambiental justifica-se pela necessidade de gestão dos potenciais impactos ambientais decorrentes das obras do empreendimento LT 230 kV Palhoça-Blumenau para Gaspar 2 e Ampliação da SE Gaspar.

A Ecossis teve o privilégio de firmar contrato com a Eletrosul e desenvolver estas atividades, minimizando os impactos na região.

Saiba mais sobre a Eletrosul em www.eletrosul.gov.br

Figura_Localizacao

Saiba Mais
SulGás

SulGás – Programa de Responsabilidade Ambiental

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0028_LOGO-29-SULGAS-e1520947633172-1

Ano de inicio: 2017

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Gasoduto/Oleoduto

Localização: Porto Alegre  Estado: RS

Serviços Executados

Programa de Educação Ambiental

Ecossis executou mais uma etapa do Programa Verde-Azul da Sulgás, Programa de Responsabilidade Ambiental

No dia 03 de Maio a Ecossis participou do evento de abertura da edição 2017 do Projeto Verde-Azul da Sulgás – Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul, ocasião que foram formalizadas as adesões dos municípios ao Programa de Educação Ambiental.

O Projeto Verde-Azul nas escolas, ocorre desde 2010 e a Ecossis Soluções Ambientais é parceira da Sulgás na execução deste Projeto desde 2011. O Projeto Verde-Azul está inserido no Programa de Responsabilidade Ambiental da Sulgás, onde o objetivo é estimular a cidadania ambiental da comunidade na área de atuação da Sulgás, através da capacitação para que a comunidade escolar participe da conservação do seu ambiente local.

A primeira edição do projeto foi realizada no município de Porto Alegre e trabalhou os temas Recursos Hídricos e Gestão de Resíduos, atingindo um público de 184 pessoas entre alunos e familiares, professores e funcionários do Colégio Estadual Protásio Alves e da Escola Estadual de Ensino Fundamental Rafael Pinto Bandeira.

A segunda edição, em 2011, trabalhou os temas Recursos Hídricos, Gestão de Resíduos, Poluição Atmosférica e Gás Natural, atingindo um público de 449 pessoas entre alunos e familiares, professores e funcionários de 10 escolas da rede pública de Porto Alegre, escolhidas através de processo seletivo público.

Em 2012 houve a continuidade do Projeto incluindo o tema Cidadania Ambiental e atingindo um público de, aproximadamente, 566 pessoas, abrangendo 08 escolas.

Em 2013 foi finalizada a etapa de Educação Ambiental do Projeto nas escolas selecionadas em 2011. A edição contou com a participação de, aproximadamente, 639 pessoas (entre alunos e professores).

O Projeto Verde-Azul nas Escolas edição 2016-2019 irá trabalhar com educação ambiental em 30 escolas públicas localizadas nos municípios atendidos pelo Plano de Investimentos 2014-2018, sendo 1 escola por município a cada ano (2016, 2017 e 2018).

O Objetivo do Programa é estimular a cidadania ambiental da comunidade na área de atuação da SULGÁS, através da capacitação para que a comunidade escolar participe da conservação do seu ambiente local.

Saiba mais sobre a Sulgás e seus projetos em www.sulgas.rs.gov.br/

Saiba Mais
INFRAERO

Manejo de Fauna para a Infraero no Aeroporto de Salvador

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0041_LOGO-42-INFRAERO-e1520947337102

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Aeroporto

Localização: Salvador  Estado: BA

Serviços Executados

Resgate da Fauna

 Ecossis realiza serviços de Manejo de Fauna para a Infraero no Aeroporto Internacional de Salvador.

Diversas condições presentes em um aeroporto e seu entorno podem favorecer a presença de fauna, que por sua vez, aumenta a probabilidade de incidentes/acidentes com aeronaves. As colisões entre fauna, notadamente aves, e aeronaves, representam risco à segurança da aviação e da população, quer voando ou em terra, além de prejuízos materiais diretos e indiretos.

Objetivando reduzir os riscos de colisões entre a fauna e as aeronaves, faz-se necessário a execução das ações constantes em um Plano de Manejo de Fauna, que apresente um diagnóstico da situação atual e a proposição, implementação e monitoramento de medidas mitigadoras e preventivas com relação ao risco da fauna em aeroportos.

Os serviços contratados pela Infraero e realizados pela Ecossis no aeroporto de Salvador, consistem  em executar as ações descritas no Plano de Manejo da Fauna aprovado e autorizado pelos órgãos competentes, contemplando, o manejo do ambiente, de animais ou grupos destes, transporte e destinação do material zoológico coletado, captura e translocação de fauna, técnicas alternativas, coleta e, quando for o caso, destruição de ovos e ninhos, abate de animais, entre outras.

A captura e translocação de animais seguem a legislação vigente, visando minimizar o estresse e sofrimento do animal.

 Os objetivos do Manejo de fauna contratado pela Infraero são:

Executar o manejo e tratamento adequado das espécies que frequentam o aeroporto, de acordo com o Plano de Manejo de Fauna – PMFA em vigor, atendendo as recomendações e licenças estabelecidas pelos órgãos de meio ambiente, incluindo:

  1. Reduzir a presença de animais no sítio aeroportuário;
  2. Executar as ações previstas no PMFA do Aeroporto.
  3. Analisar as respostas das espécies-problemas às variações ambientais, bem como às ações de manejo executadas;
  4. Atualizar mapa de risco com as áreas críticas de atração da fauna e o perigo de aproximação de animais no sítio aeroportuário;
  5. Caracterizar a fauna do sítio aeroportuário e da Área de Segurança Aeroportuária (ASA), incluindo a caracterização taxonômica, as flutuações populacionais, formas de uso e sazonalidade;
  6. Propor estratégias de controle, prevenção ou de diminuição de situações de risco no aeroporto e na ASA, a curto e médio prazo;
  7. Realizar o manejo direto da fauna e prestar assessoria técnica e científica acerca das condições ambientais decorrentes de obras e outros serviços realizados no sítio aeroportuário;
  8. Estabelecer indicadores e um protocolo para monitoramento dos efeitos das estratégias adotadas para a mitigação dos problemas;
  9. Propor parcerias com órgãos externos (governo, municípios e comunidade local) para melhoraria das condições de uso e ocupação do solo na ASA;
  10. Reduzir a presença da fauna doméstica/sinantrópica (principalmente cachorros, pombos domésticos e gatos) no sítio aeroportuário;
  11. Zelar para que outras espécies não se tornem espécie-problema;
  12. Identificar os focos atrativos de aves da ASA que estejam interferindo na manutenção do voo seguro;
  13. Monitorar as espécies que frequentam o aeroporto, em especial na região da faixa de pista, e também no entorno imediato ao Aeroporto estudando o seu comportamento, fatores atrativos, ciclo de aparecimento;
  14. Acompanhar estatisticamente os registros de colisões, relacionando o número de colisões com: ano, mês, período do dia, fase do voo;
  15. Ministrar cursos para a comunidade do entorno do sítio aeroportuário sobre os cuidados necessários para se evitar a atração de fauna na ASA, ou sobre qualquer outro tema relacionado ao risco de fauna no aeroporto;
  16. Elaborar e implantar um programa de educação ambiental à comunidade aeroportuária e a comunidades localizadas nas redondezas do aeroporto com o fim de sensibilizar sobre o perigo da fauna e segurança de voo.

A equipe  responsável pela execução do Plano de Manejo de Fauna no aeroporto de Salvador é composta por um responsável técnico, dois Biólogos, um veterinário e três auxiliares de campo.

Saiba Mais
Eletrosul

Pacuera da UHE Passo São João para a Eletrosul

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0003_LOGO-4-ELETROSUL-e1520947850970-5

Ano de inicio: 2010

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: UHE

Localização: São Luis Gonzaga   Estado: RS

Ecossis realizou para a Eletrosul o Pacuera da UHE Passo São João no Rio Grande do Sul

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A., controlada da Eletrobras, colocou em operação, no mês de março de 2012, a primeira unidade geradora da Usina Hidrelétrica (UHE) Passo São João, no Noroeste do Rio Grande do Sul. O empreendimento foi um marco do retorno da estatal à geração hidrelétrica e da recomposição de seu parque de usinas, inteiramente privatizado no final da década de 90.

A UHE Passo São João aproveita o potencial hidrelétrico do Rio Ijuí e gera até 77 megawatts (MW) – tendo duas unidades geradoras com 38,5 MW cada – energia que atende ao consumo de aproximadamente 580 mil habitantes.

Foram investidos aproximadamente R$ 595 milhões nesse empreendimento que integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Nacionalmente, a UHE Passo São João aumentou a qualidade e a segurança do sistema elétrico. Durante as obras, foram gerados perto de 2,7 mil empregos diretos e indiretos.

No decorrer das obras, foram desenvolvidos vários programas ambientais, que contemplaram ações como a recuperação de áreas degradadas, reposição florestal e de conservação de espécies ameaçadas da fauna local. No canteiro de obras, o cuidado com o gerenciamento dos resíduos foi permanente.

A Ecossis Soluções Ambientais elaborou o Plano de Conservação e Uso do Entorno do Reservatório Artificial – PACUERA e a Implantação do Monitoramento das comunidades de Macrófitas Aquáticas durante e após o enchimento do reservatório da UHE Passo São João, conforme determinava o programa do Plano Básico Ambiental (PBA) do reservatório.

Os objetivos do monitoramento eram identificar e mapear as áreas de ocorrência de populações de macrófitas na futura área de inundação da UHE Passo São João, a montante da área de influência da usina, incluindo meandros, afluentes, corpos d’água e banhados adjacentes, considerando a futura cota operacional do reservatório.

Posteriormente avaliar e indicar o método para controle de focos de macrófitas identificadas como possíveis infestantes.

Para saber mais sobre a Eletrosul e sobre a UHE Passo São João, acesse www.eletrosul.gov.br

Saiba Mais
Eletronuclear

Programa de Educação Ambiental – PEA e PEAT para a Eletronuclear

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0004_LOGO-5-ELETRONUCLEAR-e1520947169364

Ano de inicio: 2014

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Usina Nuclear

Localização: Andra dos Reis  Estado: RJ

Serviços Executados

Programa de Educação Ambiental

Implementação do Programa Eletrobrás – Eletronuclear de Educação Ambiental da Central Nuclear Almirante Alvaro Alberto (PEA – CNAAA).

A Ecossis executou ações de Educação Socioambiental do Programa Eletrobrás – Eletronuclear de Educação Ambiental (PEA) e Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT) junto às comunidades pesqueiras, quilombolas, estudantes, professores, comerciantes e trabalhadores da usina nuclear de Angra, localizada na Rodovia Procurador Haroldo Fernandes Duarte em Itaorna – Angra dos Reis/RJ.

Os Programas atenderam Angra 1, 2 e Angra 3 em construção. A capacidade de Geração de Angra 1 é de 640 MWe, Angra 2 de 1.350 MWe e Angra 3 previsto uma capacidade 1.405 MWe.

O empreendimento esta na Bacia Hidrográfica Bacia do Atlântico trecho leste – Sub-bacia Litorânea do Rio de Janeiro: Região Hidrográfica I / Bacia Hidrográfica da Baía da Ilha Grande.

O Programa de Educação Ambiental (PEA) teve o intuito de atender as condicionantes do licenciamento ambiental da Usina perante o IBAMA. Este programa ocorreu com diversos encontros, palestras, visitas e reuniões pela região de Angra, Paraty e Rio Claro, envolvendo as principais lideranças, técnicos especializados e sociedade civil organizada interessada em participar.

O Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT) programa de educação ambiental voltado aos trabalhadores da Eletronuclear, teve uma proposta nova que envolveu atualizar os cursos e treinamentos já realizados pela empresa, assim como desenvolver ações para um diagnóstico da opinião do trabalhador no que tange as questões ambientais

A execução do Programa de Educação Ambiental ocorreu através das seguintes etapas:

  • Elaboração e execução de plano de trabalho detalhado, de acordo com a metodologia e os objetivos do Programa que articula as etapas necessárias à implementação do mesmo.
  • Identificação e mobilização dos atores sociais por meio de contatos com os atores sociais previamente indicados durante a construção do PEA;
  • Institucionalização do Programa por meio da constituição de um Conselho Consultivo Externo, representado pelos municípios da área de influência (Angra dos Reis, Paraty e Rio Claro), bem como auxilio nos trabalhos do Comitê Gestor de Educação Ambiental da CNAAA;
  • Indicação, proposição e elaboração e execução e monitoramento de projetos para as linhas de ação e seus respectivos temas em consonância com as necessidades apresentadas pelo Conselho Consultivo Externo e aprovadas pelo Comitê Gestor Interno;
  • Avaliação e prestação de contas dos resultados dos projetos ao Comitê Gestor Interno.
  • Definição e justificativa do instrumental metodológico a ser adotado, tendo em vista as características da atividade do empreendimento, os impactos gerados e as orientações do órgão licenciador (IBAMA);
  • Identificação e descrição das partes interessadas, caracterizando-as em grupos de interesse compostos de atores sociais com características comuns, passíveis de interação direta ou indireta com o empreendimento;
  • Mapeamento das políticas públicas e de outras iniciativas relacionadas à gestão ambiental e à educação ambiental no âmbito do licenciamento do empreendimento;
  • Definição de estratégias para a criação e institucionalização de um Conselho Consultivo Externo;
  • Elaboração de proposta de agenda para o período de contratação;
  • Execução da agenda de atividades aprovada pelo Conselho para PEA e PEAT para as comunidades dos municípios afetados e para os trabalhadores do empreendimento;
  • Estruturação de um sistema de monitoramento e avaliação das ações desenvolvidas baseado nas capacidades (atitudes) adquiridas ao longo da implementação do PEA e PEAT;
  • Detalhamento dos meios de registro e documentação das atividades realizadas durante a execução do PEA/PEAT, os quais foram consolidados em forma de relatório e encaminhados à ELETROBRAS ELETRONUCLEAR para análise e posterior encaminhamento ao IBAMA.

logo PEA

Saiba Mais

Monitoramento Ambiental para a CGTEE

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0005_LOGO-6-CGTEE-ELETRO-e1520947605783

Ano de inicio: 2012

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Termoelétrica

Localização: Candiota  Estado: RS

Serviços Executados

Programas de Monitoramento Ambiental

Desempenhando um papel crucial para a segurança energética do sul do País, a Ecossis executou para a Eletrobrás  – CGTEE, o Monitoramento das Estações Hidrométricas implantadas na Usina Termoelétrica Presidente Médici – Candiota/RS.

A Usina Termoelétrica Presidente Médici – UTPM – Candiota II, do tipo térmica a vapor, está localizada no município de Candiota/RS, distante 400 quilômetros de Porto Alegre. Sua construção aconteceu em duas etapas. A Fase A da Usina, com duas unidades de 63MW cada, foi inaugurada em 1974 quando foi integrada no Sistema Interligado Brasileiro. Seu combustível primário é o carvão mineral. No final de 1986 entrou em operação a Fase B, com duas unidades de 160 MW cada, totalizando 446 MW instalados.

O serviço contemplou Monitorar a Qualidade das Águas Superficiais e Transporte de Sedimentos em três estações Fluviométricas, sendo elas: Arroio Candiota Montante (ACM), Sanga Funda Montante (SFM) e Arroio Candiota Jusante (ACJ), pelo período de 1 (um) ano.
Parâmetros  monitorados:
· Temperatura;
· pH;
· Condutividade;
· Turbidez;
· DBO5;
· Transporte de Sedimentos.
Foram elaborados relatórios referentes a realização de cada amostragem, contendo:
Descrição dos procedimentos técnicos de coleta e preservação das amostras; Data de realização da amostragem; Registro fotográfico; Posição georeferenciada dos locais de coleta, em GPS, juntamente com um mapa mostrando os referidos pontos (no formato JPG); Parâmetros amostrados; Condições meteorológicas do período de amostragem; Descrição dos equipamentos utilizados na amostragem;

Laudos analíticos assinados por profissional habilitado para cada campanha contendo: Identificação da amostra analisada; Metodologias analíticas utilizadas; Modelo do instrumental analítico utilizado; Limite de Detecção do método; Tabela contendo os valores dos parâmetros analisados; Análise comparativa e interpretativa correlacionando os trabalhos realizados anteriormente na área, de forma a obter uma avaliação da evolução da qualidade do monitoramento; Conclusões e Recomendações decorrentes da análise e interpretação dos dados levantados durante todo o período de monitoramento e Determinação experimental da curva de vazão.

Benefícios da UTE Candiota

  • Maior aproveitamento do carvão nacional/gaúcho, com redução de preço, facilitando a alavancagem de novos empreendimentos na região de Candiota
  • Agrega energia firme para atendimento do mercado nacional
  • Impacta positivamente a economia da região (Metade Sul do Rio Grande do Sul) cujo desenvolvimento sócio-econômico por muito tempo manteve-se deprimido
  • Geração média de empregos: na construção: 1.500 empregos diretos e 3.000 empregos indiretos; na operação e manutenção: 250 empregos fixos
  • Operação com combustível nacional garantido, e sem risco cambial.

Para saber mais sobre a unidade da CGTEE de Candiota, acesse: http://cgtee.gov.br/UNIDADES/CANDIOTA

Saiba Mais
Programa de Educação Ambiental para CHESF na LT de Milagres

Programa de Educação Ambiental para CHESF na LT de Milagres

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0006_LOGO-7-CHESF-ELETROBRAS-e1519842462568-3

Ano de inicio: 2015

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Linha de Transmissão

Localização: Milagres  Estado: CE

Serviços Executados

Programa de Educação Ambiental

Ecossis realizou para a CHESF, a Execução do Programa de Educação Ambiental e do Projeto Piloto de Prevenção, Monitoramento e Controle de Queimadas, nos municípios interceptados pela Linha de Transmissão -LT 230 kV Milagres/Coremas C2.

O Programa de Educação Ambiental e o Projeto Piloto de Prevenção, Monitoramento e Controle de Queimadas  implantados na Linha de Transmissão se constituiu como um componente estratégico no processo de gestão ambiental da CHESF – Companhia Hidro Elétrica de São Francisco, construído e executado através de metodologia participativa junto com as comunidades dos municípios que integram o empreendimento, atendendo aos princípios da sua Política Ambiental e incorporando os princípios contidos na Lei 9.795/1999 que estabeleceu a Política Nacional de Educação Ambiental – PNEA e a Instrução Normativa do IBAMA Nº 02/2012.

O empreendimento LT 230 kV Milagres/Coremas C2 (119 km) está localizado nos estados do Ceará e da Paraíba e atravessa os 19 municípios, sendo no Ceará os municípios de Milagres, Mauriti, Barro, Abaiara e na Paraíba os municípios de Monte Horebe, Aguiar, Coremas, São José de Piranhas, Carrapateira, Pombal, Itaporanga, Serra Grande, Cajazeiras, Piancó, São José da Lagoa Tapada, Catingueira, São Somingos, Bonito de Santa Fé e Iguaracy.

O Objetivo geral do Programa foi desenvolver ações de Educação Ambiental com o envolvimento da população local, visando promover um processo de sensibilização e mobilização para sua participação na implantação, monitoramento e avaliação de projetos socioambientais, atuando na transformação do seu espaço de vida, por meio da gestão ambiental sustentável.

Os objetivos específicos iniciaram pelo processo de identificar as comunidades envolvidas na área influência direta da Linha de Transmissão, traçar um perfil dos municípios e das comunidades envolvidas, considerando suas infra-estruturas, equipamentos sociais, formas de associação, lideranças, problemas socioeconômicos, habilidades e práticas culturais, de maneira a orientar as ações educativas para a realidade de cada uma delas.

Posteriormente foi elaborado o diagnóstico socioambiental participativo de cada município conforme o perfil traçado levando em consideração os impactos no meio físico natural e social causados durante a implantação do empreendimento, alinhando as ações do Programa de Educação Ambiental às demais ações originadas das condicionantes do licenciamento ambiental do empreendimento, envolvendo os grupos sociais de maior vulnerabilidade da área de influência direta do empreendimento e trabalhar as questões socioambientais locais.

O Plano de Trabalho considerou as peculiaridades do meio físico/químico, biótico/ecológico, sociológico/cultural e econômico identificados dos municípios envolvidos no Programa.

Educadores locais foram selecionados e capacitados para participar das ações do Programa de Educação Ambiental, elaborando projetos socioambientais de forma participativa com as comunidades, considerando as particularidades locais, desenvolvendo ações de educação ambiental junto aos trabalhadores envolvidos na operação do empreendimento.

O objetivo do Projeto de Controle de Queimadas foi, através de ações de Educação Ambiental específicas, promover a redução das queimadas e desenvolver uma consciência de preservação e sustentabilidade nos seus espaços territoriais.

Com a execução do Programa de Educação Ambiental foi possível a obtenção de diversos resultados, entre eles, criar uma consciência coletiva de respeito e envolvimento nas questões socioambientais, visando à sustentabilidade dos seus espaços, aproximar as comunidades da Área de Influência e os técnicos da CHESF, reduzindo os desligamentos provocados por ações antrópicas, como queima, vandalismo e uso de pipas, dotar este empreendimento de sistemática contínua e estruturada de monitoramento socioambiental, envolvendo a Chesf e representações das comunidades.

Muitos foram os desafios enfrentados durante o desenvolvimento do programa, no entanto, o acolhimento das comunidades fortaleceu para alcançar os objetivos propostos. A participação de cada um, cada um a seu modo, foi responsável pela construção deste Programa.

A continuidade das ações do PEA LT 230 kV Milagres/Coremas C2 deve estar pautada no comprometimento de ações contínuas de todas as etapas do programa, da execução e respeito das decisões acordadas e do envolvimento e participação dos sujeitos da ação, ou seja, é fundamental que o discurso seja transformado em ações.

Saiba Mais

Monitoramento das águas subterrâneas para a QGI

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0015_LOGO-16-QGI-BRASIL-e1520947914511

Ano de inicio: 2017

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Estaleiro/Marina

Localização: Rio Grande  Estado: RS

Serviços Executados

Programas de Monitoramento Ambiental

Monitoramento das águas subterrâneas para a empresa QGI

A Ecossis realizou o Monitoramento das águas subterrâneas para a QGI, empresa de construção e montagem de plataformas de petróleo, sediada na cidade do Rio Grande-RS, a instalação de 06 poços de monitoramento e a execução de 03 campanhas de coleta de água subterrânea nos 11 poços da empresa, afim de aferir a qualidade das águas subterrâneas, conforme Resolução CONAMA n° 420/2009 e atendimento da condicionante 9.1 da Licença de Operação 3266/2015.

Os serviços realizados compreenderam:

Instalação de 06 poços de monitoramento de águas subterrâneas conforme ABNT NBR 15495-1:2007, incluindo proteção sanitária na parte superior com placa/adesivo de identificação;

Relatório de evidência da rede de monitoramento da qualidade das águas contemplando todos os poços de monitoramento da empresa;

Execução de três campanhas amostrais nos 11 poços de monitoramento (05 existentes e 06 novos instalados) e encaminhamento para análise em laboratório credenciado pelo órgão ambiental;

Campanha de amostragem nos 11 poços com frequência trimestral, totalizando três campanhas.

Para cada campanha será coletada uma amostra de água subterrânea em cada poço de monitoramento (11 poços), totalizado 33 amostras para análise dos seguintes parâmetros: Antimônio Total; Arsênio Total; Bário Total; Benzeno; Cádmio Total; Chumbo Total; Cobalto Total; Cobre Total; Cromo Hexavalente; DQO; Etilbenzeno; Ferro Total; Fósforo; Manganês Total; Mercúrio; Molibdênio Total; Níquel Total; Óleos e Graxas Totais; Ortofosfato; pH; Prata Total; Selênio Total; Sulfato; Surfactantes; Temperatura da Amostra; Vanádio Total; Zinco Total; Coliformes Termotolerantes; Nitrogênio Total; Sólidos Suspensos Totais; Tolueno; TPH; Xileno.

Elaboração de três relatórios técnicos de qualidade da água ao término de cada campanha amostral com fornecimento de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Saiba Mais

Monitoramento de Ictiofauna na PCH do Rio Chapéu

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0003_LOGO-4-ELETROSUL-e1520947850970-1

Ano de inicio: 2015

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: PCH/CGH

Localização: Santa Lima Rosa  Estado: SC

Serviços Executados

Monitoramento de Fauna

Ecossis executou para a Eletrosul o Monitoramento de Ictiofauna  para a Pequena Central Hidrelétrica Barra do Rio Chapéu – UHBC.

Os serviços executados para a Eletrosul durante o Monitoramento da Fauna Íctica compreenderam:

Acompanhar os efeitos produzidos pelo empreendimento sobre as comunidades de peixes;
Avaliar qualitativa (riqueza) e quantitativamente (abundância) as espécies capturadas;
Comparar a comunidade ictiofaunística entre os diferentes pontos de coleta por meio de índices de diversidade alfa (Shannon) e beta (Jaccard ou Sorensen) e análises de agrupamento;
Classificar as espécies quanto à estratégia alimentar e reprodutiva (guildas tróficas e reprodutivas);
Aferir dados biométricos (massa e tamanho) dos espécimes coletados durante o Monitoramento de Ictiofauna;
Descrever os pontos de coleta quanto à complexidade estrutural, substrato das margens e leito do rio, vazão, estado de conservação da mata ciliar, uso de solo do entorno e proximidade com potenciais fontes de poluição a montante;
Identificar as espécies ameaçadas, raras e/ou endêmicas, bem como as espécies exóticas, com ênfase nas exóticas invasoras;
Realizar o depósito de exemplares em museu zoológico reconhecido;

O Trabalho teve duração de aproximadamente dois anos, com a apresentação de um relatório conclusivo ao final do Monitoramento.

Saiba mais sobre a Usina Barra do Rio Chapéu.


Saiba mais sobre a Ecossis

Fundada em 2006 pelos biólogos Gustavo Leite e Juliano Moreira, a Ecossis Soluções Ambientais nasceu para atender à uma crescente demanda da sociedade por soluções ágeis e eficientes na área de meio ambiente. Este mesmos pilares norteiam a política, valores e princípios de trabalho até hoje em todos seus projetos.

A Ecossis Soluções Ambientais é uma empresa de meio ambiente que presta serviços de assessoria e consultoria ambiental para os mais diversos setores da sociedade tais como, infra-estrutura, energia, mineração, agronegócio, órgãos públicos e entre outros.

Nossas soluções  buscam ser economicamente viáveis, socialmente justas e ambiental corretas, tendo como base na legislação e as peculiaridades de segmento que atuamos, para que todos nossos clientes, não somente tenham satisfação com nossos serviços, mas que seus projetos alcancem o desenvolvimento sustentável.

Saiba Mais
Open chat