Project Categories: Plano de Manejo de Unidades de Conservação

Plano de Manejo RPPN Morro Sapucaia – ICMBIO

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0039_LOGO-40-ICMBIO-e1520947139608

Ano de inicio: 2007

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Unidade de Conservação

Localização: Sapucaia do Sul  Estado: RS

A Ecossis executou o Plano de Manejo da RPPN  – Reserva Particular do Patrimônio Natural Morro Sapucaia/RS.

Os estudos ambientais realizados na área da RPPN Fazenda Morro Sapucaia do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, seguiram o Roteiro Metodológico para a Elaboração de Plano de Manejo para Reserva Particular do Patrimônio Particular (RPPN) disponibilizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis – IBAMA e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

O objetivo do Plano de Manejo é estruturar o uso da RPPN, instrumento a amparar atividades de educação ambiental com vistas à sensibilização da população de Sapucaia do Sul e cidades do entorno, bem como para a conservação da riqueza de flora e fauna existente neste morro privilegiado, bem como promover pesquisas científicas e atividades ecoturísticas.

Esta RPPN é a primeira Unidade de Conservação nos morros areníticos da região metropolitana, com áreas naturais de Sapucaia do Sul. A área possui significância ambiental destacada em decorrência de vários fatores, como a presença de Mata Atlântica, diversas espécies da flora e fauna, campestres e arbóreas em risco de extinção.

O Morro Sapucaia, por denominação local é também conhecido como Morro do Chapéu por denominação atribuída pelos Porto-Alegrenses há cem anos atrás.

O Plano de manejo  contou com um diagnóstico minucioso onde foi levantado todos os fatores abióticos, como: clima, geomorfologia, geologia e hidrografia, fatores bióticos, como: vegetação e fauna, aspectos históricos e culturais (sítios históricos) dentre outros aspectos gerais, avaliação de impactos ambientais, caracterização da área de entorno, possibilidade de conectividade e declaração de significância.

Na fase de planejamento foram definidas cinco zonas para a RPPN Morro Sapucaia, sendo a zona de proteção, zona de visitação, zona de administração, zona de transição e zona de recuperação.

O zoneamento da Reserva Particular do Patrimônio Natural Morro Sapucaia baseou-se nos objetivos gerais da categoria de unidade de conservação, que consta na lei 9.985/2000, em seus objetivos específicos, e também conhecimentos gerados pela pesquisa científica.

O Plano de manejo completo esta disponível para download em nosso site e também é possível  acessá-lo através do site:http://www.icmbio.gov.br/

 

download

Saiba Mais
Plano de Manejo para Parque Estadual em Rondônia

Plano de Manejo para Parque Estadual em Rondônia

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0043_LOGO-44-RONDONIA

Ano de inicio: 2018

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Unidade de Conservação

Localização: Costa Marques

Estado: RO

A Ecossis elaborou o Plano de Manejo do Parque Estadual Serra dos Reis, pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – SEDAM/RO, visando atender as demandas das ações constantes do Programa de Desenvolvimento Socioeconômico Ambiental Integrado – PDSEAI.

Dentre as ações embutidas no escopo do PDSEAI, no eixo do Ordenamento Fundiário e Territorial, temos o componente de Apoio à consolidação de Unidades de Conservação Estaduais, que prevê a Contratação de Empresa para elaborar o Plano de Manejo do Parque Estadual Serra dos Reis como forma de apoio à Consolidação de Unidade de Conservação Estaduais (UCs).

O Parque Estadual Serra dos Reis encontra-se no grupo das unidades de Proteção Integral cujo objetivo básico é preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto de seus recursos naturais como se vê ipsi litteris: “Os Parques tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico”.

Localizado na região do Vale do Guaporé abrangida pelos municípios de Costa Marques e São Francisco do Guaporé. Criado em 1995, este Parque abrange uma área de mais de 360 Km², protegendo importantes rios que alimentam a Bacia Hidrográfica do Guaporé. Próximo à Costa Marques possui florestas onde se pode encontrar palmeiras como açaí, muru-muru, babaçu, paxiúba e manchas de campos de várzeas que periodicamente estão inundados e, nas áreas mais elevadas, campos de terra firme. Fica a cerca de 680 km de Porto Velho e a 50 km de Costa Marques, com acesso pela RO-429 até o Km 10, de onde se segue por uma estrada de terra por quase 40 km.

A elaboração do Plano de Manejo do Parque Estadual Serra dos Reis, teve como referência  o Roteiro Metodológico de Planejamento estabelecido pelo IBAMA, que visa:

  • Dotar a UC com diretrizes atualizadas para o gerenciamento e manejo, possibilitando assim, que esta venha a atingir os objetivos para os quais foi criada;
  • Definir objetivos específicos de manejo, orientando a gestão da UC;
  • Promover o manejo da UC, orientado pelo conhecimento disponível e gerado;
  • Estabelecer a diferenciação e intensidade de uso mediante zoneamento, visando à proteção de seus recursos naturais e culturais;
  • Manter e/ou ordenar os usos apresentados até o momento, sempre que não se verifiquem conseqüências negativas advindas dos mesmos;
  • Ordenar atividades de uso público, de forma que fique garantida a conservação dos recursos naturais da UC, a sensibilização dos visitantes para com a natureza e o retorno de benefícios para as populações locais;
  • Integrar a UC com as populações vizinhas;
  • Identificar fontes de recursos financeiros e orientar a aplicação dos mesmos na UC;
  • Fortalecer a proteção da UC e ampliar o conhecimento sobre a mesma.

A execução do trabalho contou com uma equipe técnica especializada da Ecossis, com cronograma executado em 08 meses, levando em conta o tempo para entrega e aprovação final dos produtos.

Saiba Mais

Plano de Manejo para APA Ilha do Combu

CASES-VERSAO-QUADRADA-800X800-ideflor-PEDIDO-TAMIRISECOSSIS-2020-by-bkstgdigital

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Área de Proteção Ambiental

Localização: Ilha do Combu  Estado: PA

A Ecossis participou da elaboração do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu para o Instituto de desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará – IDEFLOR-Bio. 

 A Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu fica localizada no município de Belém (PA), este município possui 39 ilhas catalogadas pela Companhia de Desenvolvimento de Belém. Entre essas ilhas destaca-se a Ilha do Combu, que em tamanho e espaço territorial é a quarta maior ilha do município com uma área total de 15,972 Km2 

A Ilha do Combu apresenta ecossistema típico de várzea de grande beleza cênica, com paisagem florestal exuberante, formada por um mosaico peculiar de espécies florestais, além de seus cursos d’água, como os rios Bijogó, Guamá e Acará, o furo da Paciência e os igarapés do Combu e do Piriquitaquara. Sua população gira em torno de 1.500 habitantes, que vivem basicamente da pesca e do extrativismo dos recursos da floresta. 

O território da APA é propício para a realização de atividades de contemplação da natureza, através de caminhadas e passeios de barco. Possui rica avifauna – destacando o papagaio do Mangue ou “Curica” como pássaro mais comum na ilha. Pode-se encontrar também botos, cobras, bichos preguiça, além de diversas espécies de macacos de pequeno porte. 

A comunidade científica também é visitante assídua da Unidade de Conservação, dezenas de pesquisas científicas são realizadas anualmente na APA. Processo facilitado pela presença da diversidade biológica na ilha e a proximidade de renomadas instituições de pesquisa e ensino, como o Museu Paraense Emílio Goeldi, Universidade federal Rural da Amazônia e a Universidade Federal do Pará. 

Em 2000, Brasil instituiu o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC (Lei nº 9.985/2000), que estabelece critérios e normas para a criação, implantação e gestão das unidades de conservação, e para tanto, determina a elaboração do documento técnico denominado Plano de Manejo (PM). O Plano de Manejo orienta as formas de uso da área, o manejo dos seus recursos naturais, bem como a implantação de estruturas físicas e recursos humanos necessários à gestão da unidade. 

A elaboração de um plano de manejo envolve três etapas fundamentais 

  • Organização do planejamento; 
  • Diagnóstico da área; 
  • Planejamento propriamente dito; 

Plano de Manejo é o principal instrumento de gestão e zoneamento interno para implantação da zona de amortecimento, este por sua vez, serve como um instrumento de integração com as comunidades circunvizinhas. O Plano de Manejo da APA seguiu o Roteiro Metodológico de Planejamento do IBAMA, voltado para Parques Nacionais, Reservas Biológicas e Estações Ecológicas. 

Para saber mais sobre a APA Ilha do Combu acesse: https://ideflorbio.pa.gov.br/unidades-de-conservacao/regiao-administrativa-de-belem/area-de-protecao-ambiental-da-ilha-do-combu/ 

Saiba Mais
Open chat