Arquivo: Projects

Foz de Chapecó

Monitoramento Ambiental na UHE Foz do Chapecó

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0010_LOGO-11-FOZ-DO-CHAPECO-e1520947282881-200x200

Ano de inicio: 2015

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: UHE

Localização: Chapecó  Estado: SC

Monitoramento Ambiental na UHE Foz do Chapecó

A Ecossis Soluções Ambientais desenvolveu o monitoramento Ambiental da UHE Foz do Chapecó, que visava o monitoramento da Área de Preservação Permanente – APP do reservatório da UHE, tendo por objetivo, coibir qualquer tipo de interferência que venha a ocorrer nesta área sem prévia autorização, afim de garantir a preservação ambiental e patrimonial dos locais que abrangem a APP, cumprindo assim as exigências dos órgãos ambientais e das legislações vigentes.

Aliado a este monitoramento, também era realizado o monitoramento de Macrófitas Aquáticas nos tributários que alimentam o reservatório, com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das mesma, evitando infestações.

O monitoramento realizado diariamente, através de vistorias lacustres e terrestres, abrangendo toda a APP do reservatório da UHE Foz do Chapecó a fim de, registrar possíveis ocorrências de intervenções na área de preservação permanente, sendo que a equipe da Ecossis também prestava apoio à Foz Chapecó na entrega de notificações e em audiências.

Saiba mais sobre a UHE Foz do Chapecó em www.fozdochapeco.com.br

Saiba Mais
Prefeitura de Guaíba

Assessoria Técnica Ambiental para Prefeitura de Guaíba

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0018_LOGO-19-PORTO-SANTOS-e1520947256857

Ano de inicio: 2011

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Construção Civil

Localização: Guaíba  Estado: RS

Ecossis prestou serviços de assessoria técnica ambiental a Prefeitura Municipal de Guaíba entre os anos de 2011 e 2012.

Visando complementar a equipe técnica multidisciplinar da Secretaria Municipal da Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Guaíba-RS, na área de geologia e da engenharia química, a Ecossis prestou serviços de assessoria técnica ambiental a este órgão público pelo período de um ano.

Os serviços para a PM de Guaíba compreenderam:

Emissão de pareceres e  laudos relativos às áreas de geologia e de engenharia química, com enfoque ambiental, subsidiando a tomada de decisão da equipe técnica efetiva e do(s) responsável(is) pelo licenciamento ambiental de impacto local, conforme solicitação da SMAMA.

Auxilio no atendimento à resolução CONSEMA Nº 04/2000, para obtenção do convênio com o SIGA-RS. Visando à habilitação junto a SEMA, para a realização do licenciamento ambiental das atividades consideradas de impacto local, onde o Município precisava possuir no quadro do órgão municipal do meio ambiente, ou a disposição deste órgão, profissionais legalmente habilitados para a realização do licenciamento ambiental, emitindo a devida Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Para saber mais sobre a Prefeitura de Guaíba acesse http://www.guaiba.rs.gov.br/

Saiba Mais
Feam

Avaliação de Impacto Ambiental para a FEAM de Minas Gerais

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0036_LOGO-38-FEAM-e1520947464993

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Indústria

Localização:   Estado: Minas Gerais

FEAM contratou a Ecossis para desenvolver estudo de Avaliação do Impacto Ambiental causado pelos efluentes do Setor Têxtil na Bacia do Rio das Velhas no Estado de Minas Gerais.

Ecossis desenvolveu para a FEAM – Fundação Estadual de Meio Ambiente do Estado de Minas Gerais, o estudo para a Avaliação do Impacto Ambiental causado pelos Efluentes Industriais do Setor Têxtil na Bacia do Rio das Velhas.

Toda a Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas está localizada dentro do estado de Minas Gerais, em sua região central, ocupando um área de drenagem de 29.173km2 (FEAM, 1998). Com 801 km, o Rio das Velhas é o maior afluente em extensão da Bacia do São Francisco.

Como partes Integrantes da atividade deste trabalho estão o levantamento de informações têxteis no Estado de Minas Gerais, as ações de sustentabilidade do setor e  os cenários do impacto do lançamento dos efluentes líquidos do setor têxtil na Bacia do Rio das Velhas.

O objetivo geral do estudo foi apresentar informações necessárias para caracterização do grupo de empreendimentos têxteis localizados na Bacia do rio das Velhas, assim como apresentar informações relativas a Ações de Sustentabilidade do Setor Têxtil e apresentar cenários de impactos do lançamento dos efluentes das indústrias têxteis na Bacia do Rio das Velhas.

Mapa das subregiões da bacia do rio das velhas


A Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) é um dos órgãos seccionais de apoio do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) e atua vinculado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

 A finalidade desta Fundação, nos termos do Decreto 47.347, de 24 de Janeiro de 2018,  é desenvolver e implementar as políticas públicas relativas à mudança do clima, às energias renováveis, à qualidade do ar, à qualidade do solo, e à gestão dos efluentes líquidos e resíduos sólidos.

Saiba Mais
Eletrosul

Supervisão Ambiental de Obras da LT Palhoça – Blumenau

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0003_LOGO-4-ELETROSUL-e1520947850970-4

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Linha de Transmissão

Localização: Gaspar  Estado: SC

Ecossis realizou para a Eletrosul, a supervisão ambiental e execução de programas ambientais das obras relacionadas ao seccionamento da LT 230 kv Palhoça – Blumenau, em Santa Catarina.

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A. visando atender as condicionantes da Licença de Instalação (LI) e obtenção da Licença de Operação (LO), realizou a execução de diversos programas ambientais na obra da LT 230 kV Palhoça – Blumenau, para SE Gaspar 2, e instalação de equipamentos na SE Gaspar 2, localizada em Gaspar/SC.

A Linha tem uma tensão de 230 kV com uma extensão aproximada de 2 km.

As atividades  desenvolvidas consistiram na execução da supervisão ambiental do empreendimento, cujo objetivo foi a inspeção e o controle da implantação das medidas de mitigação contidas nos programas ambientais, além da orientação à empresa executora da obra. Aliadas à execução da supervisão ambiental, também foi promovidas as seguintes ações:

  • Acompanhamento da supressão da vegetação, com orientações visando minimizar os impactos decorrentes desta atividade;
  • Condução de palestras e reuniões, dentro do programa de educação ambiental (PEAT) para os funcionários da obra, e para a comunidade atingida (PEA);
  • Afugentamento e resgate da fauna silvestre impactada pelo empreendimento;
  • Gerenciamento da destinação final de resíduos sólidos e líquidos;
  • Suporte para o programa de Comunicação Social.

O Programa de Supervisão ambiental justifica-se pela necessidade de gestão dos potenciais impactos ambientais decorrentes das obras do empreendimento LT 230 kV Palhoça-Blumenau para Gaspar 2 e Ampliação da SE Gaspar.

A Ecossis teve o privilégio de firmar contrato com a Eletrosul e desenvolver estas atividades, minimizando os impactos na região.

Saiba mais sobre a Eletrosul em www.eletrosul.gov.br

Figura_Localizacao

Saiba Mais
SulGás

SulGás – Programa de Responsabilidade Ambiental

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0028_LOGO-29-SULGAS-e1520947633172-1

Ano de inicio: 2017

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Gasoduto/Oleoduto

Localização: Porto Alegre  Estado: RS

Serviços Executados

Programa de Educação Ambiental

Ecossis executou mais uma etapa do Programa Verde-Azul da Sulgás, Programa de Responsabilidade Ambiental

No dia 03 de Maio a Ecossis participou do evento de abertura da edição 2017 do Projeto Verde-Azul da Sulgás – Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul, ocasião que foram formalizadas as adesões dos municípios ao Programa de Educação Ambiental.

O Projeto Verde-Azul nas escolas, ocorre desde 2010 e a Ecossis Soluções Ambientais é parceira da Sulgás na execução deste Projeto desde 2011. O Projeto Verde-Azul está inserido no Programa de Responsabilidade Ambiental da Sulgás, onde o objetivo é estimular a cidadania ambiental da comunidade na área de atuação da Sulgás, através da capacitação para que a comunidade escolar participe da conservação do seu ambiente local.

A primeira edição do projeto foi realizada no município de Porto Alegre e trabalhou os temas Recursos Hídricos e Gestão de Resíduos, atingindo um público de 184 pessoas entre alunos e familiares, professores e funcionários do Colégio Estadual Protásio Alves e da Escola Estadual de Ensino Fundamental Rafael Pinto Bandeira.

A segunda edição, em 2011, trabalhou os temas Recursos Hídricos, Gestão de Resíduos, Poluição Atmosférica e Gás Natural, atingindo um público de 449 pessoas entre alunos e familiares, professores e funcionários de 10 escolas da rede pública de Porto Alegre, escolhidas através de processo seletivo público.

Em 2012 houve a continuidade do Projeto incluindo o tema Cidadania Ambiental e atingindo um público de, aproximadamente, 566 pessoas, abrangendo 08 escolas.

Em 2013 foi finalizada a etapa de Educação Ambiental do Projeto nas escolas selecionadas em 2011. A edição contou com a participação de, aproximadamente, 639 pessoas (entre alunos e professores).

O Projeto Verde-Azul nas Escolas edição 2016-2019 irá trabalhar com educação ambiental em 30 escolas públicas localizadas nos municípios atendidos pelo Plano de Investimentos 2014-2018, sendo 1 escola por município a cada ano (2016, 2017 e 2018).

O Objetivo do Programa é estimular a cidadania ambiental da comunidade na área de atuação da SULGÁS, através da capacitação para que a comunidade escolar participe da conservação do seu ambiente local.

Saiba mais sobre a Sulgás e seus projetos em www.sulgas.rs.gov.br/

Saiba Mais
INFRAERO

Manejo de Fauna para a Infraero no Aeroporto de Salvador

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0041_LOGO-42-INFRAERO-e1520947337102

Ano de inicio: 2016

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Aeroporto

Localização: Salvador  Estado: BA

Serviços Executados

Resgate da Fauna

 Ecossis realiza serviços de Manejo de Fauna para a Infraero no Aeroporto Internacional de Salvador.

Diversas condições presentes em um aeroporto e seu entorno podem favorecer a presença de fauna, que por sua vez, aumenta a probabilidade de incidentes/acidentes com aeronaves. As colisões entre fauna, notadamente aves, e aeronaves, representam risco à segurança da aviação e da população, quer voando ou em terra, além de prejuízos materiais diretos e indiretos.

Objetivando reduzir os riscos de colisões entre a fauna e as aeronaves, faz-se necessário a execução das ações constantes em um Plano de Manejo de Fauna, que apresente um diagnóstico da situação atual e a proposição, implementação e monitoramento de medidas mitigadoras e preventivas com relação ao risco da fauna em aeroportos.

Os serviços contratados pela Infraero e realizados pela Ecossis no aeroporto de Salvador, consistem  em executar as ações descritas no Plano de Manejo da Fauna aprovado e autorizado pelos órgãos competentes, contemplando, o manejo do ambiente, de animais ou grupos destes, transporte e destinação do material zoológico coletado, captura e translocação de fauna, técnicas alternativas, coleta e, quando for o caso, destruição de ovos e ninhos, abate de animais, entre outras.

A captura e translocação de animais seguem a legislação vigente, visando minimizar o estresse e sofrimento do animal.

 Os objetivos do Manejo de fauna contratado pela Infraero são:

Executar o manejo e tratamento adequado das espécies que frequentam o aeroporto, de acordo com o Plano de Manejo de Fauna – PMFA em vigor, atendendo as recomendações e licenças estabelecidas pelos órgãos de meio ambiente, incluindo:

  1. Reduzir a presença de animais no sítio aeroportuário;
  2. Executar as ações previstas no PMFA do Aeroporto.
  3. Analisar as respostas das espécies-problemas às variações ambientais, bem como às ações de manejo executadas;
  4. Atualizar mapa de risco com as áreas críticas de atração da fauna e o perigo de aproximação de animais no sítio aeroportuário;
  5. Caracterizar a fauna do sítio aeroportuário e da Área de Segurança Aeroportuária (ASA), incluindo a caracterização taxonômica, as flutuações populacionais, formas de uso e sazonalidade;
  6. Propor estratégias de controle, prevenção ou de diminuição de situações de risco no aeroporto e na ASA, a curto e médio prazo;
  7. Realizar o manejo direto da fauna e prestar assessoria técnica e científica acerca das condições ambientais decorrentes de obras e outros serviços realizados no sítio aeroportuário;
  8. Estabelecer indicadores e um protocolo para monitoramento dos efeitos das estratégias adotadas para a mitigação dos problemas;
  9. Propor parcerias com órgãos externos (governo, municípios e comunidade local) para melhoraria das condições de uso e ocupação do solo na ASA;
  10. Reduzir a presença da fauna doméstica/sinantrópica (principalmente cachorros, pombos domésticos e gatos) no sítio aeroportuário;
  11. Zelar para que outras espécies não se tornem espécie-problema;
  12. Identificar os focos atrativos de aves da ASA que estejam interferindo na manutenção do voo seguro;
  13. Monitorar as espécies que frequentam o aeroporto, em especial na região da faixa de pista, e também no entorno imediato ao Aeroporto estudando o seu comportamento, fatores atrativos, ciclo de aparecimento;
  14. Acompanhar estatisticamente os registros de colisões, relacionando o número de colisões com: ano, mês, período do dia, fase do voo;
  15. Ministrar cursos para a comunidade do entorno do sítio aeroportuário sobre os cuidados necessários para se evitar a atração de fauna na ASA, ou sobre qualquer outro tema relacionado ao risco de fauna no aeroporto;
  16. Elaborar e implantar um programa de educação ambiental à comunidade aeroportuária e a comunidades localizadas nas redondezas do aeroporto com o fim de sensibilizar sobre o perigo da fauna e segurança de voo.

A equipe  responsável pela execução do Plano de Manejo de Fauna no aeroporto de Salvador é composta por um responsável técnico, dois Biólogos, um veterinário e três auxiliares de campo.

Saiba Mais
IAP

Inventário Florestal para o Instituto Ambiental do Paraná – IAP

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0038_LOGO-39-IAP-e1520018392799

Ano de inicio: 2014

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Unidade de Serviços de Conservação

Localização: Piraquara  Estado: PR

Serviços Executados

Inventário Florestal

Inventário Florestal de Espécies Exóticas para o IAP, na Unidade de Conservação Floresta Estadual Metropolitana Estado do Paraná.

A Ecossis Soluções Ambientais foi contratada pelo IAP para inventariar as áreas reflorestadas existentes na Unidade de Conservação de Piraquara, visando estimar os estoques de madeira existentes na unidade.

As Unidades de Conservação estaduais integram o Sistema Nacional de Unidades de Conservação e tem como objetivo, entre outros, a proteção e manutenção da biodiversidade. A remoção de espécies exóticas das Unidades de Conservação possibilitará a recuperação ou restauração de ecossistemas degradados com a vegetação natural existente na área anteriormente a introdução das espécies exóticas.

Por outro lado os reflorestamentos existentes já estão em idade de corte e as explorações irão fornecer produto florestal comercializável. Por esta razão se faz necessário a realização de inventário para estimativa do estoque de madeira existente em cada unidade. A estimativa do volume fornecerá parâmetros para a realização de Edital para abertura de Concorrência Pública para comercialização da madeira proveniente dos reflorestamentos das unidades de conservação.

A Ecossis realizou o inventário florestal (levantamento de campo) nos 200 hectares da floresta metropolitana de Piraquara, através de técnica de amostragem aplicadas em campo, com limite de erro para o volume total de 10% e nível de probabilidade estatística de 95% em relação a estimativa total.

Os dados foram processados e gerado relatório de identificação dos estoques de madeira por finalidade potencial de uso (sortimento), para todas as classes de diâmetro por espécie (madeira para laminação, madeira para serraria, madeira para celulose e madeira restante), através de elementos de biometria e informática, para cada Unidade de Conservação.

 

 

Saiba Mais
Porto de Santos

Arqueologia no Porto de Santos

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0018_LOGO-19-PORTO-SANTOS-e1520947256857

Ano de inicio: 2014

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: 

Terminal Portuário

Localização: Santos  Estado: SP

A Ecossis foi contratada para realizar estudos de Arqueologia Preventiva nas obras de reestruturação do Porto de Santos em São Paulo

Os estudos de Arqueologia Preventiva executados em áreas onde a cultura material possa sofrer influência direta de algum empreendimento, tem como objetivo garantir a integridade  do patrimônio cultural da nossa nação.

O trabalho tinha como objetivo seguir os preceitos estabelecidos pelo IPHAN atestando qualidade e responsabilidade pelos estudos arqueológicos. Dentre as condicionantes exigidas no licenciamento ambiental do Porto de Santos, esta o  acompanhamento das obras, que visava garantir a validade da licença de instalação durante o período de execução das obras.

Os trabalhos vinculados às obras de reestruturação do Porto de Santos ocorreram  desde 2014 até 2019, conforme Portarias Iphan. Foi realizado tanto o acautelamento dos bens tombados existentes nas Áreas  Diretamente Afetadas pelos empreendimentos, quanto a identificação e resgate dos sítios arqueológicos localizados, durante a fase de monitoramento arqueológico.

Vinculado aos trabalhos efetivos de campo, ações de Educação Patrimonial foram executadas, com o intuito de fomentar a interação e conhecimento entre a história do Porto de Santos, dos trabalhadores e das crianças.

Mais informações sobre este monitoramento de obras, que é referente a recuperação e reforço estrutural do cais dos armazéns 12A ao 23, e que também promove a educação ambiental e patrimonial, podem ser obtidos através do link abaixo no site do Porto de Santos.

Leia o Relatório

Saiba Mais
Eletrosul

Pacuera da UHE Passo São João para a Eletrosul

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0003_LOGO-4-ELETROSUL-e1520947850970-5

Ano de inicio: 2010

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: UHE

Localização: São Luis Gonzaga   Estado: RS

Ecossis realizou para a Eletrosul o Pacuera da UHE Passo São João no Rio Grande do Sul

A Eletrosul Centrais Elétricas S.A., controlada da Eletrobras, colocou em operação, no mês de março de 2012, a primeira unidade geradora da Usina Hidrelétrica (UHE) Passo São João, no Noroeste do Rio Grande do Sul. O empreendimento foi um marco do retorno da estatal à geração hidrelétrica e da recomposição de seu parque de usinas, inteiramente privatizado no final da década de 90.

A UHE Passo São João aproveita o potencial hidrelétrico do Rio Ijuí e gera até 77 megawatts (MW) – tendo duas unidades geradoras com 38,5 MW cada – energia que atende ao consumo de aproximadamente 580 mil habitantes.

Foram investidos aproximadamente R$ 595 milhões nesse empreendimento que integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Nacionalmente, a UHE Passo São João aumentou a qualidade e a segurança do sistema elétrico. Durante as obras, foram gerados perto de 2,7 mil empregos diretos e indiretos.

No decorrer das obras, foram desenvolvidos vários programas ambientais, que contemplaram ações como a recuperação de áreas degradadas, reposição florestal e de conservação de espécies ameaçadas da fauna local. No canteiro de obras, o cuidado com o gerenciamento dos resíduos foi permanente.

A Ecossis Soluções Ambientais elaborou o Plano de Conservação e Uso do Entorno do Reservatório Artificial – PACUERA e a Implantação do Monitoramento das comunidades de Macrófitas Aquáticas durante e após o enchimento do reservatório da UHE Passo São João, conforme determinava o programa do Plano Básico Ambiental (PBA) do reservatório.

Os objetivos do monitoramento eram identificar e mapear as áreas de ocorrência de populações de macrófitas na futura área de inundação da UHE Passo São João, a montante da área de influência da usina, incluindo meandros, afluentes, corpos d’água e banhados adjacentes, considerando a futura cota operacional do reservatório.

Posteriormente avaliar e indicar o método para controle de focos de macrófitas identificadas como possíveis infestantes.

Para saber mais sobre a Eletrosul e sobre a UHE Passo São João, acesse www.eletrosul.gov.br

Saiba Mais
Eletronuclear

Programa de Educação Ambiental – PEA e PEAT para a Eletronuclear

ECOSSIS-C41-BASE-COMFUNDO_0000s_0004_LOGO-5-ELETRONUCLEAR-e1520947169364

Ano de inicio: 2014

Status: Finalizado

Tipo de empreendimento: Usina Nuclear

Localização: Andra dos Reis  Estado: RJ

Serviços Executados

Programa de Educação Ambiental

Implementação do Programa Eletrobrás – Eletronuclear de Educação Ambiental da Central Nuclear Almirante Alvaro Alberto (PEA – CNAAA).

A Ecossis executou ações de Educação Socioambiental do Programa Eletrobrás – Eletronuclear de Educação Ambiental (PEA) e Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT) junto às comunidades pesqueiras, quilombolas, estudantes, professores, comerciantes e trabalhadores da usina nuclear de Angra, localizada na Rodovia Procurador Haroldo Fernandes Duarte em Itaorna – Angra dos Reis/RJ.

Os Programas atenderam Angra 1, 2 e Angra 3 em construção. A capacidade de Geração de Angra 1 é de 640 MWe, Angra 2 de 1.350 MWe e Angra 3 previsto uma capacidade 1.405 MWe.

O empreendimento esta na Bacia Hidrográfica Bacia do Atlântico trecho leste – Sub-bacia Litorânea do Rio de Janeiro: Região Hidrográfica I / Bacia Hidrográfica da Baía da Ilha Grande.

O Programa de Educação Ambiental (PEA) teve o intuito de atender as condicionantes do licenciamento ambiental da Usina perante o IBAMA. Este programa ocorreu com diversos encontros, palestras, visitas e reuniões pela região de Angra, Paraty e Rio Claro, envolvendo as principais lideranças, técnicos especializados e sociedade civil organizada interessada em participar.

O Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT) programa de educação ambiental voltado aos trabalhadores da Eletronuclear, teve uma proposta nova que envolveu atualizar os cursos e treinamentos já realizados pela empresa, assim como desenvolver ações para um diagnóstico da opinião do trabalhador no que tange as questões ambientais

A execução do Programa de Educação Ambiental ocorreu através das seguintes etapas:

  • Elaboração e execução de plano de trabalho detalhado, de acordo com a metodologia e os objetivos do Programa que articula as etapas necessárias à implementação do mesmo.
  • Identificação e mobilização dos atores sociais por meio de contatos com os atores sociais previamente indicados durante a construção do PEA;
  • Institucionalização do Programa por meio da constituição de um Conselho Consultivo Externo, representado pelos municípios da área de influência (Angra dos Reis, Paraty e Rio Claro), bem como auxilio nos trabalhos do Comitê Gestor de Educação Ambiental da CNAAA;
  • Indicação, proposição e elaboração e execução e monitoramento de projetos para as linhas de ação e seus respectivos temas em consonância com as necessidades apresentadas pelo Conselho Consultivo Externo e aprovadas pelo Comitê Gestor Interno;
  • Avaliação e prestação de contas dos resultados dos projetos ao Comitê Gestor Interno.
  • Definição e justificativa do instrumental metodológico a ser adotado, tendo em vista as características da atividade do empreendimento, os impactos gerados e as orientações do órgão licenciador (IBAMA);
  • Identificação e descrição das partes interessadas, caracterizando-as em grupos de interesse compostos de atores sociais com características comuns, passíveis de interação direta ou indireta com o empreendimento;
  • Mapeamento das políticas públicas e de outras iniciativas relacionadas à gestão ambiental e à educação ambiental no âmbito do licenciamento do empreendimento;
  • Definição de estratégias para a criação e institucionalização de um Conselho Consultivo Externo;
  • Elaboração de proposta de agenda para o período de contratação;
  • Execução da agenda de atividades aprovada pelo Conselho para PEA e PEAT para as comunidades dos municípios afetados e para os trabalhadores do empreendimento;
  • Estruturação de um sistema de monitoramento e avaliação das ações desenvolvidas baseado nas capacidades (atitudes) adquiridas ao longo da implementação do PEA e PEAT;
  • Detalhamento dos meios de registro e documentação das atividades realizadas durante a execução do PEA/PEAT, os quais foram consolidados em forma de relatório e encaminhados à ELETROBRAS ELETRONUCLEAR para análise e posterior encaminhamento ao IBAMA.

logo PEA

Saiba Mais
Open chat