Autor: Tamiris Carvalho

Governo de Pernambuco

governo de pernambuco
Setores: Órgãos Públicos

Com uma área de 98.311 km², Pernambuco é um dos 27 estados brasileiros, localizado no centro leste da Região Nordeste, tem, por tanto, sua costa banhada pelo Oceano Atlântico. Composto por 185 municípios – com um total de 8.796.032 habitantes, além de ter a cidade do Recife como sua capital, tem como parte do seu território o arquipélago de Fernando de Noronha, a 545 km da costa.

Apesar de ser um dos menores estados da Federação em extensão territorial, Pernambudo possui as mais belas e variadas paisagens: serras, planaltos, brejos, semi-aridez no interior, e belíssimas praias. Uma das principais vocações econômicas do estado é o turismo, grande gerador de empregos e renda em todas as regiões. São praias paradisíacas, de Norte a Sul, monumentos, cidades, calor e frio. Além das lindas paisagens e marcos turísticos, o estado de Pernambuco é reconhecido no Brasil por possuir uma grande diversidade cultural. Em suma, é um estado rico que contempla a todos e recebe seus turistas sempre com o maior prazer.

A Ecossis realizou o PCA em Fernando de Noronha para o Governo de Pernambuco.

Saiba mais sobre Pernambuco.

Principais Cases

Saiba Mais
projetos ecossis

Consulta Pública é realizada com sucesso no município de Dias D’Ávila na Bahia

A Ecossis realizou consulta pública para apresentação do PACUERA da Barragem de Sta. Helena

A Ecossis Soluções Ambientais, em nome da Empresa Baiana de Águas e Saneamento, a Embasa e com o apoio da Prefeitura Municipal de Dias d’Ávila, realizou no mês de janeiro de 2019, na Câmara Municipal de Vereadores, a Consulta Pública referente o Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno do Reservatório Artificial -PACUERA, da Barragem de Santa Helena.

consulta pública

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O evento foi muito bem recebido pelos moradores do município, que compareceram em peso para acompanhar, se informar e opinar. Além da comunidade, participaram do evento o Vice Prefeito do Município; o Secretário de Meio Ambiente e de Saúde, representantes do Centro Administrativo, biólogos e engenheiros ambientais.

consulta pública

 

 

 

 

 

 

 

 

Em suma, o objetivo da consulta pública foi alcançado, com a apresentação do Plano aos moradores da área de entorno da barragem, fornecendo as informações pertinentes e deixando todos cientes do escopo de trabalho.

Veja a nota oficial

Quer saber mais sobre todos os projetos da Ecossis? Nos siga nas redes sociais!

Saiba Mais

Prefeitura Municipal de Bagé

Setores: Órgão Público

Fundado em 17 de julho de 1811, o município de Bagé tem uma história marcante que a tornou conhecida como A Rainha da Fronteira. Possui uma área de 4.095,5 km² e em torno de 120 mil habitantes. Hoje, a cidade conta com Prefeito e Vice-prefeito para realizar a sua administração alem de 12 secretarias para auxiliar no pleno desenvolvimento deste município tão importante para o Estado do Rio Grande do Sul.

A Ecossis realizou, para a Prefeitura Municipal de Bagé, o Plano de Gestão Ambiental. Para a completa eficácia deste plano, foram realizados diversos serviços, programas, projetos e estudos ambientais.

 

Saiba mais sobre a Prefeitura de Bagé.

Principais Cases

Saiba Mais

Votorantim

votorantim
Setores: Energia

Fundada em 9 de janeiro de 1918, a Votorantim S.A. é uma multinacional brasileira de controle familiar, com mais de 100 anos de história. Com presença global, atua hoje em 20 países com investimentos nos setores de metais, siderurgia, cimento, celulose, energia, financeiro e produção de suco de laranja concentrado, possui mais de 30 mil funcionários. Com sede na cidade de São Paulo, a Votorantim atua como uma gestora de portfólio de investimentos, com atuação também por meio de centro de excelência nas áreas de Tecnologia da Informação e Serviços Imobiliários (em São Paulo) e Soluções Compartilhadas em Finanças, Contabilidade e Recursos Humanos (em Curitiba).

Em 2013 a Votorantim entrou no mercado de Energia, com mais de 100 anos de experiência em geração de energia, a Votorantim Energia passou a oferecer serviços de gestão do consumo de energia elétrica. Hoje, possuí 35 usinas hidrelétricas e 21 projetos de energia eólica em todo o país, onde atua tanto na produção de energia quanto no gerenciamento.

Saiba mais sobre a Votorantim.

Conheça os projetos que a Ecossis executou para a Votorantim.

Principais Cases

Saiba Mais
dica ambiental

Folia Ecológica – A Ecossis te dá dicas para curtir o Carnaval de forma sustentável

Todos sabemos que o Carnaval é tempo de festa, música, dança e muita alegria, para curtir a folia sem culpa, que tal prestar atenção em pequenos gestos que podem fazer uma mudança enorme no planeta?

Vamos as dicas:

 

 

1.Copos Reutilizáveis  – Para se manter hidratado durante toda a folia, leve seu próprio copo ou garrafinha de inox, caso compre alguma bebida no bloquinhos, seja consciente na hora de produzir seu lixo e descarte de forma correta.

 

 

 

 

 

2.Opte pelo Glitter Biodegradável – Várias marcas já estão trabalhando com opções de glitter biodegradável, que é menos nocivo para o meio ambiente, já que o glitter é composto por micropartículas de plástico, que ao pararem na água de rios e mares, matam milhares de organismos marinhos. Caso ainda insista em usar um glitter convencional, nada de entrar no mar com ele no corpo e, na hora do banho, coloque uma folha de papel toalha no ralo do banheiro, para que todo e qualquer resíduo fique retido nela e não escoe por aí.

 

 

 

3.Confetes de Folhas – Esta ideia é muito legal! Primeiro, utilize um furador de papel comum, segundo, colete folhas de árvores e plantas caídas pelo chão e pronto! Agora é só criar seus próprios confetes, assim, além de ser gratuito, irá fazer com que o resíduo que sobrará espalhado depois da festa se degrade sem agredir o meio ambiente!

 

 

 

 

 

4.Crie sua própria Fantasia – Reutilize roupas, utilize acessórios e peças disponíveis em casa para montar um figurino original e criativo, tente aproveitar materiais recicláveis, esta é sempre uma boa dica para não abusar no lixo que será descartado.

Faça sua festa, aproveite, se divirta mas não esqueça de fazer a sua parte.

Gostou? Compartilha esta ideia!

Nosso Planeta agradece. 

 

 

 

 

 

Saiba mais sobre a Ecossis

Saiba Mais
projetos ecossis

Patrimônio cultural do Paraná é divulgado a comunidade

Esclarecimento e divulgação dos bens culturais acautelados

Durante as atividades de campo para a realização da Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico da LDAT 138 kV Cascavel Norte – Ubiratã (autorizado pela Portaria IPHAN n° 01508.001358/2016-87), arqueólogos da equipe da empresa de Consultoria Ambiental Ecossis Soluções Ambientais, realizaram a entrega de folhetos ilustrativos,  durante o meses de março e abril de 2019. Os folhetos entregues continham informações sobre o Patrimônio Cultural da região.

Os pontos onde ocorreram a entrega dos folhetos informativos foram o Museu Histórico Celso Formighieri Sperança, o Museu Patrimônio Histórico e Cultural de Ubiratã, a Secretaria de Educação e Cultura Municipal de Corbélia e a Secretaria de Educação e Cultura Municipal de Anahy, bem como, aos proprietários na extensão do empreendimento, localizados em vários municípios, como, Cascavel, Ubiratã, Corbélia e Anahy no Estado do Paraná.

O objetivo desses folhetos é de informar a população a necessidade de serem realizados estudos arqueológicos em obras que modificam o meio ambiente e demonstrar o potencial arqueológico da região.

As ações de esclarecimento e divulgação dos bens acautelados fazem parte do projeto provado pelo IPHAN, em consonância com a Instrução Normativa n° 01/2015 e Portaria IPHAN n° 908/2016.

Nosso Patrimônio!

Segundo a Constituição de 1988, em seu artigo 216, parágrafo 5°, os bens materiais e imateriais sob a proteção do Poder Público (obras, monumentos, documentos, locais de valor artístico e histórico e paisagens naturais), constituem “Patrimônio Cultural Brasileiro”:

Art. 216 – Constitui patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tombados individualmente ou em conjunto, portadores de referência a identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira nos quais se incluem:

(…) Parágrafo V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, é o órgão que fiscaliza e protege os sítios arqueológicos, conforme a Lei no 3.924/61. Contudo, é nosso dever como cidadão proteger e conservar o Patrimônio Cultural Brasileiro, para toda a humanidade e para as gerações futuras, localizados dentro de seu município ou região, considerados patrimônio mundial de toda população do planeta.

O município de Cascavel possui nove sítios arqueológicos, o município de Corbélia possui dois sítios arqueológicos, o município de Anahy um sítio arqueológico e o município de Ubiratã, treze sítios arqueológicos. Ressalta-se que nenhum deles está próximo da Linha de Transmissão avaliada, contudo, indica que novos achados são passíveis de serem identificados pela equipe de arqueologia.

Caso você encontre material arqueológico na sua região, favor contatar a Superintendência do Iphan em Paraná (Telefone: (11) (41) 3264-7971 / e-mail: [email protected]), para que profissionais possam estuda-los adequadamente.

Lembre-se:

  • Proteja a área para que ninguém destrua o sítio;
  • Nunca tire o material do local;
  • Comunique o IPHAN, se possível mostrando sua localização e foto.

VOCÊ É O GUARDIÃO DA NOSSA CULTURA!

Saiba Mais

Resolução 500/2019 regulamenta a atuação do Biólogo em Outorga de Recursos Hídricos

Diário Oficial publica a Resolução 500/2019, que dispõe sobre atuação do Biólogo em Outorga de Direito de Uso de Recursos Hídricos.

Na última terça-feira, dia 19 de março de 2019, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), a alteração, realizada pelo Conselho Federal de Biologia (CFBio), na Resolução nº 500/2019, dispondo sobre a competência do Biólogo como responsável técnico em Processos de Outorga de Direito de Uso de Recursos Hídricos.

De acordo com a Resolução, o Biólogo é profissional técnico e legalmente habilitado para atuar em processos de Outorga de Direito de Uso de Recursos Hídricos, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), podendo exercer responsabilidade técnica, coordenação, execução, assessoria e demais atividades profissionais de forma autônoma, em instituições públicas ou privadas, de acordo com sua formação.

A atuação em intervenções que alterem regime, potabilidade, quantidade ou qualidade dos corpos de água, também está prevista na norma, que regula atividades tanto em âmbito federal, quanto estadual e municipal.

biologo

A resolução também fala sobre as Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs), referente a essas atividades, que seguem sendo responsabilidade do Conselho Regional de Biologia, que deve avaliar o currículo e experiência do profissional antes de concedê-las.

Para finalizar, é citado como os profissionais podem fazer para complementar sua formação em áreas ligadas à gestão de Recursos Hídricos, onde o Biólogo pode dedicar-se à educação continuada, em instituições de ensino e pesquisa, ou entidades como associações e conselhos profissionais.

(fonte: CRBio-03)

Saiba Mais
dica ambiental

Pallet biodegradável é fabricado com casca de coco

A utilização da fibra de coco na produção de materiais não é uma grande novidade, esta fibra já é utilizada na fabricação de cordas, vasos e tapetes. Através do aperfeiçoamento do processo utilizado para fabricar esses materiais foi possível criar o pallet biodegradável de coco.

Diferente dos pallets de madeira, o pallet de coco não leva resina sintética em seu processo de fabricação, o uso de pesticidas e aditivos também não se faz necessário ao pallet de coco e o resultado disso é um palete biodegradável. Isso significa que apesar de ser feito para exportação, quando ele estiver desgastado e sem uso, pode ser triturado, reciclado ou compostado. Inclusive, já existem estudos em desenvolvimento visando maneiras de usar os paletes como fertilizantes para o solo.

pallet biodegrádavelSegunda a empresa responsável pela fabricação desses biopallets, cerca de 1.7 bilhões de paletes de madeira são produzidos anualmente, causando o uso desnecessário de aproximadamente 200 milhões de árvores por ano.

Além de ser benéfico ao meio ambiente, por ser biodegradável, os pallets de coco também poupam árvores e geram renda aos pequenos produtores.

Os pallets de coco além de ser uma ótima solução para o meio ambiente, não perdem em nada para os pallets de madeira no quesito qualidade de resistência, eles são mais duráveis, resistentes ao fogo, além de ocuparem menos espaço, sendo mais compactos e muito bonitos.

(fonte: ciclovivo)

 

Conheça a Ecossis.

Saiba Mais
dica ambiental

Museu Planeta Água será o maior museu hídrico do País

O Museu Planeta Água será o maior espaço museográfico do país dedicado totalmente ao estudo da água, nosso recurso mais precioso. Esse importante projeto está sendo desenvolvido em Curitiba, capital do estado do Paraná e tem sua inauguração prevista para o ano de 2020.

Usando a interatividade, o museu visa uma abordagem multidisciplinar e abrangente, apresentando todos os aspectos relacionados à água e seus usos – científicos, educacionais, históricos, sociais e de saúde.

Idealizado pela Associação Brasileira do Conhecimento (EGEO) e desenvolvido pela Straub Design, o Museu Planeta Água já teve sua primeira reunião oficial de 2019, que aconteceu no dia 21 de fevereiro, no local onde deverá funcionar o museu. Estiveram reunidos representantes das empresas patrocinadoras e os líderes que compõem o novo conselho consultivo, formado por especialistas em Sustentabilidade, Meio Ambiente e Água. Durante o encontro, foram discutidos o planejamento e o cronograma de construção do museu, além da metodologia para a execução do projeto.

planeta águaA importância do Museu Planeta Água

A criação de um museu dedicado ao estudo da água ajudará no cumprimento dos ODS instituídos pela ONU – “Água Potável e Saneamento – Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos”.

A proposta do Museu Planeta Água é ser um espaço não apenas de exposição e lazer, mas também de educação ambiental e conscientização. O recurso é extremamente essencial para a existência da vida na Terra, e informar, educar, conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre a importância da água é a missão do Museu Planeta Água.

Sua criação foi aprovada pelo Ministério da Cultura e, além disso, o Museu Planeta Água poderá ser incorporado à Rede Mundial de Museus de Água – uma iniciativa da UNESCO – devido sua importância para a conscientização.

 

(fonte: ideiasustentavel)

Conheça a Ecossis.

Saiba Mais
RESPONSABILIDADE-SOCIOAMBIENTAL

Papagaios-de-peito-roxo são readaptados a natureza através de projeto reintrodução de espécies

A iniciativa realizada pelo Instituto Espaço Silvestre, localizado no estado de Santa Catarina, busca restaurar a população de papagaios-de-peito-roxo, espécie que era comum na região do Parque Nacional das Araucárias (SC). O instituto, fundado em 2010, já possui 189 espécimes do papagaio-de-peito-roxo, todos recuperados do tráfico ou resgatados de zoológicos, vivendo livres em suas dependências.

De acordo com o censo mundial, realizado em 2018, existem mais de 4,7 mil papagaios-de-peito-roxo em vida livre no Brasil, um número que os tornam ameaçados.

papagaio de peito roxoA coordenadora do projeto e diretora técnica do Instituto Espaço Silvestre, Vanessa Kanaan, explica que os papagaios-de-peito-roxo eram recorrentes na região até que a captura ilegal e o desmatamento reduziram drasticamente o número de aves.

O trabalho realizado, para que esses animais possam se readaptar plenamente, exige que sejam realizados desde exames clínicos e laboratoriais, análise genética, até treinamentos comportamentais. Além do desafio de adaptar uma espécie fragilizada, a própria soltura apresenta suas dificuldades: o viveiro é aberto pela manhã e fechado durante a noite para que as aves entrem e saiam, conforme desejarem, até que se fixem na natureza.

Com a ida dos animais para as florestas, os especialistas monitoram o comportamento deles. Observações, escuta de vocalizações e até drones ajudam a indicar se os papagaios estão se relacionando, se dispersando, evitando predadores e localizando abrigos. Bons “vigias” são também os moradores do local, que desempenham a ciência cidadã e relatam o que veem aos pesquisadores.

O monitoramento mostra que papagaios-de-peito-roxo vítimas do tráfico de animais silvestres podem ser reabilitados, soltos e até se reproduzem com sucesso.

papagaio de peito roxoO processo da soltura 2019 ainda não está finalizado e deve variar de acordo com a resposta comportamental dos papagaios. Até lá, rádio-colares, microchips e anilhas cedidas pelo Centro Nacional de Pesquisa para Conservação de Aves Silvestres auxiliam no controle da espécie.

 

(fonte: g1.globo)

Conheça a Ecossis.

Saiba Mais
Open chat